Ha faltado un pelo.

15000865_1029121970531468_3279038919449601256_o

Giacarlo Cattaneo veio do Uruguay para competir na Outlaw 250.

A meta era simples – ser o primeiro piloto uruguaio a se classificar para as finais. Para isto ele precisaria ficar entre os 31 melhores pilotos.

Tarefa nada fácil. Em 2015 Cattaneo fez a mesma viagem e conseguiu alcançar somente a 53º posição, com o tempo de pista de 8,6 nos 250 metros.

15036237_1326502607370735_2974166871682367340_n

Para 2016 a equipe trabalhou, e bem. O piloto conseguiu se manter na lista de classificados praticamente durante o dia inteiro, caindo para fora do grupo dos 31 classificados nas últimas passadas da classificatória.

É preciso lembrar: esta foi a competição onde se pode observar o melhor nível técnico já alcançado em Tarumã.

Carros “monstros” e pilotos que são referências em seus nichos na arrancada tradicional, brigavam, sem cerimônia alguma, por uma vaga entre os melhores, por uma chance para chegar as finais da prova.

O número de quebras dentro da lista foi o mais baixo até hoje: apenas uma desistência. No final, Cattaneo ficou a duas posições da classificação.

14962801_1326502670704062_7913115608069140992_n

Cattaneo conseguiu melhorar seu tempo, em relação a 2015, em meio segundo. O melhor tempo de pista alcançado foi 8,1 segundos nos 250 metros.

Este resultado rendeu a 35º colocação – um enorme avanço.

O tempo do último classificado para o Super 16? 8,3s total (pista + reação). Sim, se tivesse emplacado uma reação abaixo de .200, Cattaneo teria classificado.

15000865_1029121823864816_724390901913208519_o

Meio segundo de melhora não é pouco – mas a equipe afirma que lutou contra uma falha durante a competição, o que leva a conclusão que o carro tem potencial para apresentar resultados ainda melhores sem grandes modificações:

Trabajamos muchísimo para no decepcionar y poder estar entre los más rápidos ,una falla nos acompañó todo el evento y no sabemos que hubiese pasado sino la tuviéramos ,hay que seguir trabajando.

E de fato, observando os tempos de 2015 e 2016, fica claro que o carro ainda tem um grande potencial para baixar tempo, visto que a melhora do tempo veio depois da parcial de saída, 0s 60 pés.

2015-vert

Em outras palavras – o motor falou mais alto desta vez, empurrando o carro de alta.

Se você estava lá na pista, com certeza escutou o auto bem redondo, com o motor empurrando forte.

O vídeo abaixo dá uma ideia clara:

O trabalho da equipe não passou despercebido, muitas pessoas felicitaram o Fiat Uruguaio.

A melhora entre um ano e outro demonstra a capacidade da equipe de se adaptar a competição.

O principal talvez seja a vontade de bater uma meta – ainda não foi desta vez, mas foi por pouco. Ficou claro que não falta empenho e qualidade.

“Ha faltado un pelo”.